Carta Capital

Clique para compartilhar o link do texto original

Após o discurso do presidente dos Estados Unidos, Bolsonaro disse que governo do PT defendeu enriquecimento de urânio pelo Irã

O presidente Jair Bolsonaro exibiu uma transmissão ao vivo em sua conta no Facebook, enquanto assistia, pela emissora GloboNews, o discurso do presidente americano Donald Trump, nesta quarta-feira 8.

CartaCapital precisa de você para continuar fazendo um jornalismo que vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Um jornalismo que fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Sua luta é a nossa luta. Seja Sócio CartaCapital. A democracia agradece.

SEJA SÓCIO

Ao fim do discurso de Trump, Bolsonaro resolveu adicionar um complemento e fez críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo ele, Lula defendeu o enriquecimento de urânio pelo governo iraniano enquanto era presidente da República.

 

[...]

“Queria dizer apenas uma coisa. O senhor Luiz Inácio Lula da Silva esteve no Irã e lá defendeu que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20%, que seria para fim pacífico”, disse Bolsonaro. “Nós temos que seguir as nossas leis, nós não podemos extrapolar. Mas acredito que a verdade tem que fazer parte do nosso dia a dia e que nós queremos paz no mundo.”

Muito obrigado por ter chegado até aqui…

… Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital.

O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 25 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital, assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece.

SEJA SÓCIO

Leia o texto completo em Carta Capital