Carta Capital

Clique para compartilhar o link do texto original

Luciano Hang, o dono da rede de lojas, afirmou que os seguidores ‘já conhecem quem faz esse tipo de coisa’

Uma estátua da rede de lojas de departamento Havan, que pertence ao empresário Luciano Hang, foi incendiada na manhã desta terça-feira 31 em São Carlos, interior de São Paulo.

CartaCapital precisa de você para continuar fazendo um jornalismo que vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Um jornalismo que fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Sua luta é a nossa luta. Seja Sócio CartaCapital. A democracia agradece.

SEJA SÓCIO

A polícia ainda não divulgou nota à respeito das investigações, mas a Secretaria da Segurança Pública afirmou ao portal G1 que as autoridades aguardam o resultado dos laudos e mais informações do caso.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o momento que a estátua pegou fogo. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio começou por volta das 5h da manhã. O símbolo da Havan é uma réplica da Estátua da Liberdade localizada em Nova York.

Luciano Hang, que é conhecido como um fervoroso apoiador do governo Bolsonaro, afirmou nas redes sociais que foi “vítima de terrorismo”. Mesmo sem provas conclusivas, Hang comentou que as pessoas já “conheciam” os supostos autores do ataque.

[...]

“Atearam fogo na nossa estátua da liberdade, querem nos calar. Não têm propostas, não têm argumentos e aí partem para a ignorância, para o ataque físico, para colocar fogo na propriedade privada. Vocês já conhecem quem faz esse tipo de coisa.”, afirmou.

 

Muito obrigado por ter chegado até aqui…

… Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital.

O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 25 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital, assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece.

SEJA SÓCIO

Leia o texto completo em Carta Capital