GGN / Luis Nassif

Clique para compartilhar o link do texto original

Magistrados têm vale-refeição maior do que salário de professores

Valor de auxílio recebido por juízes e desembargadores no Acre, Pernambuco e Amapá passou de R$ 3 mil; piso dos docentes é de R$ 2.557

Jornal GGN – Juízes e desembargadores de três Estados brasileiros recebem um vale-refeição mensal que supera o piso salarial dos professores: enquanto os docentes precisam trabalhar 40 horas no mês para receber R$ 2.557 ao mês, juízes e desembargadores de Pernambuco, Amapá e Acre recebem mais de R$ 3 mil em auxílio-alimentação.

[...]

Levantamento elaborado pelo jornal O Estado de São Paulo mostra que o Tribunal de Justiça de Pernambuco chegou a pagar de R$ 4.320 a R$ 4.787 de auxílio-alimentação entre os meses de maio e julho. A partir de agosto, o valor foi reduzido para R$ 1.068.

Já o Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) paga um vale-refeição de R$ 3.200 a R$ 3.546 mensais aos seus integrantes, ao passo que o Tribunal de Justiça do Acre chegou a aumentar o auxílio-alimentação para entre R$ 3.840 e R$ 4.255 em janeiro deste ano – nos meses seguintes, o repasse foi de R$ 1.600 a R$ 1.773.

O menor auxílio era pago pelo TJ do Maranhão, com um total de R$ 726 mensais. Contudo, houve um reajuste de 34% em novembro, para R$ 974.

Em Brasília, deputados declararam que o Poder Judiciário se distanciou da realidade brasileira. O líder do Novo, deputado Marcel Van Hattem (RS), afirmou ainda que esses valores serão revistos em 2020, “em uma reforma administrativa que atinja todos os Poderes em todos os Estados e municípios”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia o texto completo em GGN / Luis Nassif