Jornalistas Livres

Clique para compartilhar o link do texto original

Por José Roberto Torero*

Diário, ontem, aqui nas minhas férias na Bahia, eu vi o DVD pirata de um filme muito bom: “Coringa”.

Eu fiquei tão impressionado com o filme que à noite eu sonhei que era o Bolsoringa: tinha cabelo verde, usava aquela maquiagem e saía dando tiro por aí, matando quem não gostava de mim.

Também sonhei que usava um lança-chamas e queimava um monte de gente, livros, carros e árvores.

Também sonhei que tinha um monte de gente com máscara de palhaço me seguindo e gritando meu nome.

E no final eu sonhei que voltava para casa e escrevia a mesma coisa que o Coringa escreveu numa carta lá no filme: “O pior de ter uma doença mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não a tivesse.”

[...]

A gente sonha cada coisa absurda, Diário…

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

@diariodobolso

O post Diário do Bolso: o sonho com o Coringa apareceu primeiro em Jornalistas Livres.

Leia o texto completo em Jornalistas Livres