Nocaute

Clique para compartilhar o link do texto original

Os principais jornais do país, de repente, se esqueceram das manchas de óleo que apareceram no nordeste brasileiro. Elas sumiram das primeiras páginas.

“Procura por crédito tem maior crescimento em 9 anos” é a manchete principal do Estadão.

No Globo:

Na Folha:

Destaques na Folha:

No Globo:

No Estadão:

Irmã Dulce, agora santa, canonizada no sábado, reina em grandes fotos nas primeiras páginas do três principais jornais do país.

O petróleo, que passou a semana frequentando as primeiras páginas, de repente, sumiu. A Folha ainda noticia e registra o aparecimento de barris da multinacional Shell no litoral sergipano.

O que observamos:

A Folha, olhando para o próprio umbigo, anuncia a participação de Tabata Amaral no programa Roda Viva, hoje à noite, como deputada e colunista da Folha. E informa apenas um integrante da bancada de entrevistadores: O repórter Joelmir Tavares, da Folha. O leitor ficou sem saber quem são os outros participantes da bancada.

Também na Folha, na coluna de Monica Bergamo, chama a atenção a foto da atriz Letícia Colin, grávida de sete meses.

E ainda na Folha, na página A8, Eduardo Bolsonaro aparece com uma camiseta ironizando a sigla LGBT. Mas não publicou o que circula nas redes sociais, uma foto em que acrescentaram o Q, de Queiroz.

[...]

O que vimos por aí:

O ataque a sinagoga, em Berlim, assunto de capa da alemã Der Spiegel.

Na primeira página do francês Le Monde, uma pergunta: “O Capitalismo acabou?”

Trump massacrado está na capa da New York.

Uma boa capa da Time Out Lisboa.

A sempre impecável capa da New Yorker.

E a charge de João Montanaro na Folha.

O post Cadê o petróleo que estava aqui? apareceu primeiro em Nocaute.

Leia o texto completo em Nocaute