O Cafezinho

Clique para compartilhar o link do texto original

Em 2008, o Brasil exportou aproximadamente US$ 31 bilhões em manufaturados, segundo números oficiais.

Em 2019, a exportação de manufaturados deve ficar em torno de US$ 24 bilhões.

Os números de 2019 são uma estimativa nossa, com base no desempenho já confirmado nos nove primeiros meses do ano.

Mesmo descontando que o aumento do consumo interno absorveu mais os excedentes industriais, ainda assim temos uma performance medíocre.

O item “máquinas e equipamentos de transporte” também viu sua exportação cair de US$ 44 bilhões em 2013 para US$ 32,5 bilhões em 2019.

Quando consideramos a participação percentual dos manufaturados,  máquinas e equipamentos de transporte no total das exportações brasileiras, constata-se uma queda dramática: em 1997, os manufaturados respondiam por 21% das nossas exportações; hoje respondem por apenas 11%. As máquinas e equipamentos de transporte, que correspondiam a 23% das exportações brasileiras, hoje respondem por apenas 15%.

[...]

Enquanto isso, a participação da categoria de “matérias em bruto”, sem incluir comestíveis ou petróleo, subiu de 14% em 1997 para 31% em 2019.

Até 2010, poderíamos atribuir essa situação ao aumento das vendas de minério de ferro, petróleo, soja bruta, etc. As exportações de manufaturados também cresceram de maneira substancial até 2007. A partir daí, porém, assistimos a um processo de estagnação ou declínio nas exportações de produtos com maior valor agregado, sem em valores absolutos, seja em participação no total exportado.

O post Participação de manufaturados na exportação brasileira cai pela metade apareceu primeiro em O Cafezinho.

Leia o texto completo em O Cafezinho