Portal Vermelho

Clique para compartilhar o link do texto original


Fernanda Chaves, a assessora que acompanhava Marielle Franco (PSOL) na noite do assassinato da vereadora e sobreviveu, contou à polícia que a parlamentar teve uma briga com Carlos Bolsonaro em 2017. Segundo Fernanda, Carlos, passando pelo corredor, ouviu uma conversa de um assessor de Marielle com uma pesquisadora mexicana. Ao apontar para o gabinete de Carlos, o assessor se referiu a ele como “fascista”. Carlos estava no telefone, mas ouviu e, aos berros, chamou o assessor de “merdão”.

[...]

Leia o texto completo em Portal Vermelho