Revista Fórum

Clique para compartilhar o link do texto original

A declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o dólar alto é bom para evitar que empregadas domésticas viagem ao exterior repercutiu no Congresso. A fala, cheia de preconceito de classe, foi repudiada por parlamentares e lideranças políticas da oposição.

A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), que já trabalhou como empregada doméstica, condenou a declaração de Guedes pelas redes sociais. “Respeite as trabalhadoras domésticas, ministro. E se elas estão indo para a Disney e os filhos delas para a universidade foi porque os governos do PT possibilitaram esse acesso que o seu governo racista e preconceituoso vem destruindo. #trabalhadorasdomesticas”, tuitou.

O comentário que despertou desprezo da parlamentar foi feito por Guedes no Seminário de Abertura do Ano Legislativo da Revista Voto. O ministro disse que o dólar alto “é bom para todo mundo” e que em outros tempos, quando a economia brasileira estava melhor e o real mais valorizado, era uma “festa danada”, pois empregadas domésticas iam à Disneylândia.

“Esse cara é um idiota. Vai ter que pedir desculpas mais uma vez”, disse Fernando Haddad, candidato à presidência pelo PT nas eleições de 2018.

O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), também foi incisivo na crítica. “É um absurdo sem explicação! Esse ataque à classe das domésticas é uma ofensa à capacidade de qualquer trabalhador de realizar o sonho que quiser! Além dos “parasitas”, pobres e das domésticas, quem mais será criminalizado pelo buraco econômico do Brasil?”, tuitou.

A líder da Minoria na Câmara dos Deputados, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) disse não acreditar na declaração e logo fez uma alerta às empregadas dométicas. “Isso não pode ser sério”, tuitou.

“Atenção, empregada doméstica. Na lógica do ministro Paulo Guedes, era muito ruim você ter que viajar com sua família várias vezes ao ano. Mas agora com o Governo Bolsonaro é bom porque… VOCÊ NÃO VIAJA MAIS. Esse Governo te odeia, viu?”, escreveu ainda Feghali.

A deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP) também reagiu: “Nojo. Temos nojo do Paulo Guedes, do seu elitismo, cinismo e de sua determinação em arruinar a vida dos pobres para beneficiar seus amigos banqueiros”.

Leia o texto completo em Revista Fórum