Revista Fórum

Clique para compartilhar o link do texto original

A reportagem de Germano Oliveira, jornalista da revista IstoÉ, revelou nesta sexta-feira (25) que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) usou dinheiro público do fundo partidário para pagar a sua viagem de lua de mel com a coach e psicóloga Heloísa Wolf. Negociação teria sido feita pela advogada do PSL, Karina Kufa.

Relatos obtidos pela reportagem mostram que Kufa, contratada pelo partido a pedido de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e conhecida por cumprir diversos favores ao deputado, teria sido a responsável por acertar os detalhes da viagem de lua de mel. Eduardo se casou com Heloísa Wolf no dia 25 de maio, no Rio de Janeiro, com as despesas pagas por amigos, mas faltava comprar as passagens da viagem de núpcias ns Ilhas Maldivas.

Usando o nome de Eduardo, a advogada teria ligado para Antonio Rueda, vice-presidente nacional do PSL, pedindo dinheiro do fundo partidário. De acordo com a revista, Rueda teria desabafado com colegas próximos que não aguentava mais “essa mulher me telefonando para pedir dinheiro para o Eduardo”. No entanto, ele liberou o que faltava para arcar com a viagem do casal.

[...]

Karina Kufa recebia salário de R$ 40 mil mensais, também pagos com dinheiro público, mas dividia metade do valor com o deputado. Eduardo também ficaria com parte do dinheiro que a advogada recebia do PSL a título de consultorias extras.

Em pouco mais de oito meses de contrato com o partido, ela recebeu R$ 340 mil. Desse total, cobrou R$ 100 mil por seu trabalho na defesa da senadora Selma Arruda, ameaçada de cassação de mandato.

Leia o texto completo em Revista Fórum