Revista Fórum

Clique para compartilhar o link do texto original

A edição desta quinta-feira (19) do Jornal Nacional, da Rede Globo, subiu o tom e deu amplo espaço para o escândalo de corrupção que envolve o senador Flávio Bolsonaro. Além de anunciar a reportagem na manchete, exibiu matéria de oito minutos sobre o tema.

No início, o JN abordou documento do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), que aponta esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e indica Flávio Bolsonaro como líder de uma organização criminosa.

Não é sócio Fórum? Quer ganhar 3 livros? Então clica aqui.

Segundo o telejornal, o MP diz que tem provas da existência dessa organização, que desviou dinheiro público e praticou lavagem de dinheiro, entre 2007 e 2018.

[...]

Além disso, apontou que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, recebeu, no período, 483 depósitos, no valor total de R 2 milhões, e que Queiroz não agiu sem o conhecimento de seu superior hierárquico.

Escritório do Crime

A reportagem também mencionou a relação do ex-assessor do filho do presidente com Adriano Magalhães da Nóbrega, ex-capitão do Bope e apontado como chefe do Escritório do Crime, e sua ex-esposa, Danielle Mendonça da Costa, que teria sido funcionária fantasma no gabinete de Flávio, enquanto ele foi deputado estadual.

A matéria do JN mostrou, ainda, o vídeo postado nas redes, nesta quinta, no qual Flávio Bolsonaro nega as acusações e tenta justificar o que foi apontado pelo MP-RJ.

Leia o texto completo em Revista Fórum