Sul 21

Clique para compartilhar o link do texto original

Ato em Porto Alegre comemora a soltura de Lula

Publicado em:

Apoiadores foram ao Largo Zumbi comemorar a soltura de Lula. Foto: Luiza Castro/Sul21

Luís Eduardo Gomes

Com a presença de lideranças políticas do PT, do PCdoB, do PSOL, do PCO e de centrais sindicais, milhares de pessoas se reuniram, no início da noite, no Largo Zumbi dos Palmares, em Porto Alegre, para comemorar a soltura do ex-presidente Lula, que deixou a prisão na tarde desta sexta-feira (8).

“Vai, sai da frente, vai que é Lula livre, minha gente”, cantaram os apoiadores do ex-presidente durante a manifestação.

O ato foi marcado por falas de figuras como o deputado federal Paulo Pimenta, a deputada Federal Maria do Rosário, o ex-ministro Miguel Rossetto, a ex-candidata à vice-presidência Manuela D’Ávila, o deputado estadual Edegar Pretto, o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, entre outros.

[...]

“Eu estava aqui agora com o meu coração transbordando de alegria, já me programei pra pegar o primeiro voo amanhã pra são Bernardo do Campo, toca o meu telefone e do outro lado da linha, Luiz Inácio Lula da Silva. Eu cheguei a tremer. Chamei a Manuela para ouvir porque, senão, vocês não iriam acreditar”, disse o presidente estadual eleito do PT, Paulo Pimenta.

Pimenta disse que o Lula mandou um recado para agradecer à militância, dizer que está muito bem de saúde, que está se preparando para caminhar pelo Brasil, e que quer ver o PT, o PCdoB e o PSOL “tudo junto para eleger a Manuela prefeita pra Porto Alegre”.

Muito saudada, Manuela disse que passou os últimos 580 dias imaginando como seria o dia de hoje. “Eu sabia que nós estaríamos juntos, mas eu não imaginei que ficaria tão emocionada nos vendo todos celebrar a liberdade de Lula”, afirmou, lembrando a música de Belchior que diz: “Ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro”.

Foto: Luiza Castro/Sul21

“Eu pensei que no ano passado, num certo sentido, nós morremos, e hoje é a prova de que nós não morreremos. O Lula nunca foi preso sozinho, junto com Lula, embora nós tenhamos ficado 580 dias na rua, enfrentado aquela campanha eleitoral imunda, nós sabemos que quando Lula foi preso, prenderam também uma parte dos nossos sonhos, de um Brasil desenvolvido. E quando ele sai hoje, com a cabeça erguida, ele também não sai sozinho”, disse. “Quando Lula sai, ele sai e nos devolve aquilo que tentaram prender, a esperança de um Brasil que derrote o fascismo do Bolsonaro”.

“Bolsonaro, o Lula está solto, babaca. Moro, o Lula está solto, babaca”, disse o deputado estadual Edegar Pretto. “Eles imaginaram que a gente ia abandonar o Lula, eles imaginaram que um homem de 74 anos não aguentaria o cárcere, eles não conhecem o Lula e não nos conhecem”, completou.

Foto: Luiza Castro/Sul21
Foto: Luiza C1stro/Sul21

Leia o texto completo em Sul 21