Tijolaço

Clique para compartilhar o link do texto original

No Valor, hoje, a informação de que 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht receberam a empresa R$ 1, 5 bilhão para fazerem delações premiadas sob encomenda e, com isso, azeitarem o caminho para o acordo de leniência da empresa.

Ano passado, um ex-gerente da OAS provou num tribunal trabalhista que a empreiteira pagou R$ 6 milhões a executivos para “adequarem” suas delações.

Está evidente que não se tratam de delações premiadas, mas de delações compradas .

No Facebook, o amigo João Ximenes Braga lembra que a condenação de Lula se deu sob a acusação de ter recebido um apartamento no Guarujá por R$ 1,5 milhão.

[...]

Que, aliás, nunca recebeu.

Nessa toada, era mais fácil se quisesse dinheiro, Lula ter se “empregado” como executivo da Odebrecht.

O “abre a boca” (sucedâneo do velho “cala a boca”) médio andou pelos 20 milhões por cabeça, dava mais uma dúzia de “triplexes” no Guarujá.

Leia o texto completo em Tijolaço