Viomundo

Clique para compartilhar o link do texto original

A declaração do senador Major Olímpio foi dada em evento que contou com a participação de Jair Bolsonaro e João Doria, em São Paulo.

Da Redação

A implosão do PSL ganhou mais um capítulo nas últimas horas, quando o vereador Carlos Bolsonaro, considerado pelo pai o pitbull da família, e o líder do governo no Senado, Major Olímpio, trocaram ofensas nas redes sociais.

Na sexta-feira, Olímpio denunciou no Senado que havia uma conspiração para acabar com o partido, organizada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Da conspiração resultou um manifesto de deputados federais do PSL em apoio a Jair Bolsonaro.

 Carla Zambelli, Bibo Nunes, Alê Silva, Chris Tonietto, Aline Sleutjes, Carlos Jordy, Filipe Barros, Sanderson, General Girão, Luiz Lima, Bia Kicis, Hélio Lopes, Cabo Junio Amaral, Luiz Philippe de Orléans e Bragança, Guiga Peixoto, Márcio Labre, Vitor Hugo, Eduardo Bolsonaro e Daniel Silveira assinaram o manifesto.

Eles representam cerca de 35% da bancada do partido na Câmara.

A reação de Luciano Bivar, presidente do PSL, e de seus aliados foi afastar alguns dos que assinaram o manifesto de cargos em comissões na Câmara.

Eduardo Bolsonaro, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, reagiu nas redes sociais:

Vai me tirar da presidência da CREDN? Vai tentar punir quem é Bolsonaro e depois espalhar outdoorzinho com a sua cara ao lado da do presidente? Se for para falar esse tipo de m… pela imprensa pelo menos dê os nomes ou então fica quieto!

Ele não foi afastado. Ainda não.

Segundo Bivar, o presidente da República está sendo mal aconselhado.

Em entrevista a O Globo, ele disse que aves de rapina estão de olho no fundo partidário do PSL — com todos os serviços ligados ao dinheiro:

O senhor pretende alterar o comando do partido e entregá-lo ao presidente?

Não. O presidente nunca me falou sobre isso, pessoalmente. O que há é um grupo capitaneado por duas ou três pessoas, um juiz desempregado, uma advogada rapina, que querem dinheiro. É tão ruim eu discutir sobre isso. Isso é o que menos importa para mim e para o presidente. Essas pessoas, sorrateiramente, cujo objetivo é outro, estão nisso. Acho que o presidente não deve estar sendo bem aconselhado, porque estão vendendo ele como se fosse propriedade deles para forçar uma participação de domínio no partido e fazerem coisas que não são éticas.  

[...]

Na sexta-feira, advogados do presidente da República formalizaram um pedido de auditoria externa nas contas do PSL.

“A dotação orçamentária prevista para 2019 [do fundo partidário] é de R$ 810 milhões, dos quais o Partido Social Liberal receberá aproximadamente R$ 110 milhões. O valor é mais de 20 vezes o montante arrecadado pelo presidente Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018 (R$ 4,39 milhões)”, diz o pedido.

O documento foi assinado pelos advogados Karina Kufa, Admar Gonzaga e Marcello Dias de Paula, representantes de Bolsonaro.

Para o líder do governo no Senado, Major Olímpio, foi parte da conspiração.

“Ficou mais que notório que quem estava por trás era um ex-ministro do TSE [Admar Gonzaga] e uma advogada espertalhona, Karina Kufa. Trabalhando nos bastidores. Infelizmente com o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, que promoveu tudo. E quem perde é o presidente e o país. O PSL vai sair fortalecido. Algumas pessoas do PSL, se saíssem hoje, eu diria Deus leve, guarde e esqueça onde”, denunciou Olímpio no Senado.

Ele se referia também a seu colega Flávio Bolsonaro, conforme entrevista que deu na própria sexta-feira, em evento em São Paulo (vídeo no topo do post), em que disse não reconhecer o poder dos filhos do presidente da República.

Ao evento também compareceram o presidente Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria.

Bivar e Olímpio querem um entendimento, mas Bolsonaro teria de enfraquecer consideravelmente o poder dos três filhos e de praticamente um terço dos parlamentares do partido, que se manifestaram publicamente contra a direção atual do PSL.

Carlos Bolsonaro não parece nem um pouco disposto a aceitar qualquer tipo de negociação ou bandeira branca, ao menos com o Major Olímpio.

Nas últimas, os dois voltaram a trocar ofensas nas redes sociais, incendiando os seguidores.

Major Olímpio, no twitter: Sou Senador graças ao PRESIDENTE Bolsonaro, APOIO-O e continuarei apoiando, mas não vou permitir molecagem comigo e assistir calado os “príncipes” prejudicando o governo do pai! “Não se opor ao erro é aprová-lo , não defender a verdade é negá-la”. São Tomás de Aquino.

Carlos Bolsonaro: Quando é para usar minha casa e meu telefone para chegar perto do presidente parece uma cadela no cio! Diz defender Bolsonaro, imagino quem não defende! Se dizia Márcio França, quando Dória venceu, foi voando “conversar”, mesmo contra o Presidente! Conheço sua laia, canalha!

Major Olímpio: É compreensível a sua baixaria e desespero em defesa do seu irmão, ainda mais falando em “telefonemas”… Quanto ao Dória, todos sabem que sou a maior oposição a ele em SP, e isso mostra realmente que você só fala besteiras, ou que é piadista! Não vou entrar nessa, moleque!

Leia o texto completo em Viomundo