Viomundo

Clique para compartilhar o link do texto original

Da Redação

O ministro da Justiça Sergio Moro aparentemente ficou tocado pela acusação feita a ele pelo deputado Glauber Braga (Psol-RJ), de que seria “capanga da milícia”.

No twitter, escreveu que, apesar de não gostar de embates políticos, tinha a esclarecer que propôs várias medidas contra as milícias no pacote anticrime, mas sofreu oposição do Psol e dos deputados federais Marcelo Freixo e Glauber Braga.

Moro não foi específico sobre quais foram as medidas.

Freixo rebateu, também no twitter, lembrando que foi a partir da CPI das Milícias, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que a formação dos bandos armados foi tipificada como crime.

[...]

“Você mente para tentar tirar o foco da relação do seu patrão com milicianos”, escreveu o psolista.

A página de Freixo na internet reproduz o relatório final da CPI das Milícias (ver abaixo) e anota:

Em 2008 Marcelo Freixo presidiu a CPI das Milícias da Assembleia Legislativa. Foi um marco na luta contra o crime organizado e sua articulação com o poder público. O relatório final pediu o indiciamento de 225 políticos, policiais, agentes penitenciários, bombeiros e civis. Apresentamos 58 propostas concretas para enfrentarmos essa máfia, entre elas a necessidade de cortarmos as fontes de financiamento das quadrilhas.

Leia o texto completo em Viomundo